sexta-feira, 21 de setembro de 2007

INTERLÚDIO

Resolvi fumar encostado no muro. Eu fumava introspectivo, pensativo. Não havia ninguém por perto, exceto os carros. De repente, um homem descia a rua em sua bicicleta. Não me viu. Quando pude ouvi-lo percebi que ele imitava uma garotinha. Não entendi por que falava sozinho. Falava com voz fina, chata e enjoativa. Parecia que o homem brigava com a garotinha, porque ele fazia duas vozes estridentes, de certo uma para ele e outra para ela, ou as duas para elas, quem sabe? E, perdido em seus devaneios, passou rápido por um buraco na rua, quase caiu da bicicleta e soltou um grito duvidoso. Impossível não ter sido engraçado! Ri da cena...ri muito mesmo, sem entender!
O homem passou, foi embora discutindo com sua imaginação.
Parecia que discutiam em tons acalorados, e ele se defendia ironizando o que a garotinha falava.
De tudo, o mais engraçado foi ouvir ele dizer, com uma convicção enfurecida: "M-E-N-T-I-R-O-S-A!!!"

Rafael Guerreiro

Um comentário:

Juliana disse...

Ahhhhhh agora foi! rsrs

É estranho postar aqui um comentário aos seus textos Rafa. Afinal, cada vez que vc posta algo novo, vem com aquela empolgação de criança que vê o bolo saindo do forno me dizer: "Ju, entra no meu blog pra ler um texto que acabei de postar!" rsrsrs...ou então a convocação vem através de cutucões de caneta BIC!!! rsrs
Da mesma forma vêm meus comentários! Você os vê saindo do forno!
Vai dizer que não escutou meus risos....vai fazer o quê? me chamar de "MEN-TI-RO-SA"?????rsrs